Como funciona a separação magnética

A separação magnética é uma metodologia de separação de misturas heterogêneas entre sólidos. No entanto, diferente dos processos físicos comuns, um dos componentes deve conter propriedades magnéticas (encontrado em ímãs ou eletroímãs).

Nesse sentido, as propriedade magnéticas podem ser dividas em três caracterizações: paramagnéticos, ferromagnéticos e diamagnéticos. Diante disso, os produtos compostos por tais materiais podem ser extraídos por meio de ímãs e eletroímãs.

Isso acontece devido a propriedade de magnetização do material que, inclusive, é gerada pela presença de um campo magnético, que desenvolve as partículas do material em direção a esse mesmo campo.

Com esse cenário, principalmente no Brasil, esse é um método extremamente útil na área de processamento ou purificação de minérios, como a caixa de contenção de água, assim como na separação de elementos metálicos constituídos no lixo que podem ser reciclados.

Para auxiliar você a entender esse processo físico, separamos este post com o objetivo de mencionar os princípios da separação magnética, os exemplos simples e os materiais que podem ser extraídos durante esse desenvolvimento. Boa leitura!

Princípios da separação magnética

A separação magnética é constituída por meio de alguns princípios. Afinal, esse processo ocorre por meio de produtos obtidos com a divisão do magnetismo, como: Cobalto, Ferro e Níquel.

Dessa forma, com a separação dos materiais, a separação magnética aborda alguns princípios bem presentes nos processos físicos. Veja:

  • Quando realizada por via seca, na qual todos os materiais estão em estado sólido, o ímã ou eletroímã é aproximado da mistura e cria essa atração;
  • Quando realizada por via úmida, a mistura desenvolvida por materiais em estado sólido é submetida a um processo de lavagem antes de acontecer, de fato, a aproximação do ímã ou eletroímã.

Com base nessas informações, a separação magnética mostra, em seu conceito, a reflexão devida a sua nomeação. Assim, os materiais Cobalto, Ferro e Níquel são necessários para difundir o procedimento.

Exemplo simples de aplicação

Um dos exemplos mais comuns de aplicação nesse processo é com a criação da mistura formada por areia e ferro, como nos resquícios de uma mistura de materiais atraídos por uma carroceria de madeira, por exemplo.

Em outras palavras, quando o ímã é remetido sobre a mistura, o ferro é atraído, sendo separado rapidamente da areia.

Na verdade, isso acontece porque apenas o ferro apresenta uma propriedade magnética, realizando a separação da mistura heterogênea.

Materiais que podem ser atraídos

Pensando na separação magnética, os materiais possuem inúmeras formas de atração. No entanto, podemos mencionar os três elementos mais presentes nesse tipo de processo físico:

  • Paramagnéticos: caracterização de materiais que são atraídos fracamente por um campo magnético. Por exemplo: alumínio, magnésio, sulfato de cobre, bário, cálcio, sódio, broca de aço rápido, entre outros;
  • Ferromagnéticos: trata-se de materiais que são atraídos fortemente por um campo magnético. Por exemplo: ferro, níquel, cobalto e ligas metálicas constituídas por esses materiais.

No entanto, existe um grupo de metais que não podem ser atraídos por imãs, já que, quando se integram a eles, sofrem uma significativa repulsão do campo eletromagnético em questão.

Desse modo, podemos mencionar como exemplo os seguintes elementos: bismuto, cobre, prata, ouro e chumbo.

Precisando de ímãs e ou equipamentos magnéticos, acesse o nosso site www.oximag.com e conheça a nossa linha de produtos para separação magnéticafixação magnéticatransporte magnético e ímãs. Também realizamos manutenção em equipamentos magnéticos.

Esse‌ ‌artigo‌ ‌foi‌ ‌escrito‌ ‌por‌ ‌Vanessa ‌Andrade,‌ ‌Criadora‌ ‌de‌ ‌Conteúdo‌ ‌do‌ ‌‌Soluções‌ ‌Industriais‌.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *