Como os equipamentos magnéticos são utilizados na indústria

O magnetismo está presente em muitos elementos comuns de nossa rotina, indo desde um simples imã de geladeira até alguns tipos de equipamentos magnéticos utilizados na indústria.

Os estudos sobre o magnetismo são bastante antigos, justamente porque ele sempre foi muito utilizado nos mais diferentes segmentos de mercado.

A própria eletricidade, tão presente na nossa rotina, não seria possível sem o magnetismo. Assim como as indústrias, que dependem dele e da eletricidade para realizar grande parte dos seus processos de produção.

Portanto, se você quer entender melhor os principais conceitos desse assunto indispensável para o seu segmento, siga adiante na leitura deste post.

A importância do magnetismo

O magnetismo serve como base para os mais variados usos, auxiliando no funcionamento de pátios fabris, ou tornando possível realizar exames médicos de rotina, tal como um raio-X.

Ele está dentro de fábricas especializadas na produção dos componentes pneumáticos utilizados em aparelhos industriais, ou de motores responsáveis pelo funcionamento de diversos equipamentos e até em eletrodomésticos de uso comum, como as batedeiras.

Os estudos relacionados aos ímãs foram iniciados por Tales de Mileto, no século VI a. C, ao observar a atração que ocorria entre essas pequenas partículas, que também atraiam elementos ferrosos.

Posteriormente, estudos relacionaram a força magnética com a produção de energia, e por isso hoje temos grande parte dos equipamentos de uso cotidiano.

É justamente por isso que o magnetismo é de grande importância dentro de vários segmentos, possibilitando que diversos tipos de produtos sejam desenvolvidos e tornem possíveis a execução de várias atividades comuns.

Assim como muitos equipamentos precisam de cilindros hidráulicos de dupla ação em seu sistema interno, eles certamente precisarão de energia para funcionar e, nesse aspecto, entra também a importância do magnetismo como fonte de produção de eletricidade.

Curiosidades sobre a estrutura interna dos imãs

Os ímãs são elementos bastante interessantes, de modo que é possível conhecê-los mais detalhadamente levando em consideração algumas curiosidades, tais como:

  • Um ímã é composto de dois pólos;
  • Seus pólos são semelhantes aos pólos elétricos;
  • Os pólos do ímã correspondem aos geográficos;
  • O rompimento de um ímã gera dois novos imãs;
  • O tamanho de um imã influencia na sua utilização;
  • Existem imãs naturais e artificiais, etc.

Os imãs possuem uma estrutura interna composta por dois pólos distintos: o norte e sul. Você já deve ter reparado que, ao tentar unir dois imãs, existem lados que se atraem e outros que se repelem.

Esse processo é bastante semelhante ao da eletricidade, já que ao unir dois polos diferentes, os dois objetos se atraem e, ao tentar juntar dois polos iguais, eles se repelem.

A nomeação dos polos é feita levando em consideração o nosso posicionamento geográfico, ou seja, quando um ímã é erguido de maneira livre, o seu polo norte automaticamente se alinha com a região norte da Terra.

Além disso, quando um ímã é rompido, os pólos não se separam, de modo que eles não perdem a sua funcionalidade, sendo dividido em dois novos imãs.

Outro ponto fundamental diz respeito ao tamanho de um ímã, já que a força exercida pela sua atração está diretamente ligada à dimensão de cada uma das unidades utilizadas dentro de um equipamento.

Assim, tanto o seu formato quanto o seu tamanho devem ser específicos para o tipo de aplicação necessária, que fará toda a diferença na potência de funcionamento do maquinário.

Há também duas classificações principais de ímãs: os naturais e os artificiais.

Os imãs naturais são aqueles encontrados diretamente na natureza, que possuem uma concentração do elemento magnetita (também chamado de óxido de ferro) que faz com que ele possua essas características magnéticas.

É também possível produzir ímãs artificiais, que podem ser fabricados em indústrias especializadas.

Essas pequenas curiosidades ajudam a entender como o imã funciona e, principalmente, porque o magnetismo está presente até mesmo na produção de eletricidade.

Magnetismo presente no cotidiano

O magnetismo está presente em grande parte do nosso cotidiano, seja para promover o funcionamento de itens que utilizamos rotineiramente ou seja de maneira invisível, nas ondas magnéticas que nos cercam durante todo o tempo.

Um dos exemplos mais comuns são os ímãs de geladeira, que possuem muitas vezes a simples função de manter um determinado papel fixo na porta do equipamento.

Há também o magnetismo presente nos motores dos mais diversos itens, indo desde um aparelho de televisão até um carro.

Em um automóvel, é possível encontrar a atuação do magnetismo no sistema de embreagem e de freios, além da parte elétrica que utiliza sensores e relés para manter os componentes funcionando.funcionamento

Os aparelhos domésticos também são constituídos por partes que utilizam do magnetismo ou do eletromagnetismo como suas fontes de . Assim, o micro-ondas, os computadores, os aparelhos de som e outros vários produtos são apenas alguns dos exemplos de eletrodomésticos que mais utilizamos em nossa rotina.

Além de estar presente em vários elementos do cotidiano, o magnetismo também é essencial para a indústria, conforme veremos a seguir.

Equipamentos magnéticos e sua utilização na indústria

Como mencionado, o magnetismo está presente em praticamente todos os locais em que estamos.

As ondas eletromagnéticas também estão por toda a parte, sendo responsáveis, por exemplo, pela funcionalidade de um celular e por transmitir as ondas de rádio.

Levando essas informações em conta, é possível entender como os equipamentos magnéticos estão presentes dentro das empresas de manutenção industrial e de outros tipos de indústrias.

Isso porque, o magnetismo faz com que grande parte dos maquinários e dos seus componentes sejam capazes de fazê-los funcionar, utilizando a energia como seu combustível principal.

O magnetismo nos projetos industriais

A montagem de uma fábrica envolve diversos fatores, que devem ser previamente pensados para que a sua produção seja de grande eficiência.

Sendo assim, ao contratar uma empresa de montagem industrial para que um projeto seja desenhado, é preciso levar em conta toda a sua linha de produção, para que os equipamentos e maquinários estejam de acordo com a necessidade de local.

Esse processo não  envolve apenas o magnetismo, mas também o eletromagnetismo, justamente porque as máquinas dependem desses elementos como fonte de energia para sua funcionalidade.

E nesse sentido que entram os planejamentos de rede elétrica do local, que precisa estar adequado ao tamanho do consumo, fazendo com que a produção do local seja atendida eficientemente.

Além disso, deve-se levar em consideração alguns fatores importantes, como a montagem de um quadro de distribuição que atenda a demanda do pátio fabril, já que os equipamentos magnéticos e elétricos podem atuar exigindo uma grande quantidade de energia.

Ferro e magnetismo

Conforme já mencionado, o ferro é um dos itens atraídos pelos ímãs. Mas mesmo nas indústria de fundição, o magnetismo está presente dentro do funcionamento dos seus grandes equipamentos e maquinários específicos.

Os processos de fundição são capazes de produzir diferentes tipos de ferro, e, para que a sua composição seja feita de acordo com a necessidade de uma determinada produção, os conhecimentos sobre magnetismo e suas propriedades devem ser aplicados para as etapas do processo.

Isso permite que o trabalho efetuado dentro desse segmento forneça materiais de qualidade, que serão utilizados como componentes importantes de diferentes tipos de produtos ou equipamentos industriais.

Usinagem e produção de ferramentas

As indústrias de usinagem possuem uma importância fundamental no cenário econômico nacional.

Isso porque elas são capazes de produzir uma grande quantidade de produtos que podem ser utilizados para compor máquinas e diversos outros tipos de equipamentos, desde componentes como uma mola de compressão preço até um pequeno parafuso.

Inclusive, elas podem produzir ferramentas específicas, que são utilizadas para os mais diversos fins, a partir de matérias-primas como o ferro e outros tipos de elementos.

O magnetismo está presente também nesse processo, já que os maquinários utilizados para a produção dos diferentes modelos possuem internamente os componentes que, utilizando o eletromagnetismo, produzem os efeitos desejados em uma peça.

Sendo assim, as empresas de usinagem são as grandes responsáveis pela produção de ferramentas, mas também de outros tipos de itens, tais como:

  • Parafusos;
  • Porcas;
  • Fresas;

Além disso, as indústrias de usinagem produzem itens dos mais variados tamanhos e formatos, utilizando máquinas específicas que utilizam não apenas o magnetismo como parte do processo, mas também a energia necessária para fazer um cilindro hidráulico rotacionar dentro do próprio equipamento.

Por isso, a indústria é um dos segmentos que mais utilizam do magnetismo para o seu funcionamento, tornando possível grande parte das suas produções e do seu funcionamento como um todo.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *