Especialista sugere a criação de escudo magnético gigante para proteger a Terra

Naturalmente, a Terra consegue se proteger de tempestades solares intensas por meio de um escudo invisível conhecido como “magnetosfera”. Mas, como os polos magnéticos do nosso planeta estão sempre em movimento, esse escudo está enfraquecendo. Isso significa que a Terra está cada vez mais vulnerável aos efeitos negativos devastadores do Sol.

No entanto, o cientista Joseph Pelton, ex-reitor da Universidade Espacial Internacional, em Illkirch-Graffenstaden, na França, juntamente com uma equipe de pesquisadores, criou um modelo de escudo magnético artificial e maciço para ajudar a proteger nosso planeta.

As tempestades solares são erupções de energia magnética que ocorrem na superfície do Sol. Quando essa energia é subitamente liberada, acelera os gases quentes próximos dali, que podem viajar rapidamente (até vários milhões de quilômetros) em direção à Terra.

Os especialistas agora advertem que a humanidade não está preparada para enfrentar uma tempestade solar calamitosa e que os efeitos poderiam ser terríveis. Se tal material colidir com o campo magnético de nosso Planeta, afetaria muitas das nossas tecnologias, incluindo os satélites em órbita, sistemas de telecomunicação, radares e redes elétricas.

Em um estudo publicado recentemente no periódico ROOM, Pelton disse: “Ao longo da última metade do século, o mundo finalmente começou a aprender que um gigantesco asteroide ou cometa poderiam criar confusão e ruína, talvez em escala planetária. Mas, o que não temos ainda é uma compreensão global de que existe um perigo muito mais provável que está a crescendo cada vez mais. É um perigo cósmico muito real que poderia prejudicar nossas redes de energia elétrica, sistemas de satélite de comunicações, de navegação e defesa”.

O especialista também advertiu que esse evento “nocautearia” a sincronização de tempo da Internet global, que é essencial para que ela funcione da forma que conhecemos. Ele acrescentou que, “uma enorme ejeção de massa coronal, que traz milhões de toneladas de íons viajando em cerca de dois milhões de quilômetros por hora, poderia deixar os sistemas econômicos e infraestrutura global em frangalhos”.

No entanto, para evitar isso, ele sugeriu que os cientistas criassem uma megaestrutura, como um enorme escudo eletromagnético, que ajudaria a proteger a Terra de uma tempestade solar maciça. A criação também poderia ter outra finalidade, como a incorporação de satélites de energia solar que poderiam enviar feixes de energia limpa ao nosso Planeta.

Por fim, ele reivindicou que é chegado o tempo de as agências espaciais considerarem tecnologias que possam salvar o Planeta e a raça humana. “É hora de eles começarem uma verdadeira missão para salvar a Terra”.

Por: Merelyn Cerqueira/ Jornal da Ciência
[ Fotos: Reprodução / Daily Mail e NASA ]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *